Notícias

As fake news no cenário das eleições

Em tempos de eleições, avanço da violência estimulada como discurso e polarização da sociedade brasileira, as fake news têm ganhado espaço. E é sobre elas que Afonso Benite escreve em seu texto “A máquina de ‘fake news’ nos grupos a favor de Bolsonaro no WhatsApp”, para o El País. Se inserindo em grupos pró-Jair Bolsonaro, que se articulam em torno da campanha do candidato à presidência, foi possível identificar desde criação de boatos até a intolerância aos membros que questionam as notícias propagadas nos grupos.

CONTINUE LENDO

Jornada das Utopias 2018

Basquiat: o negro como protagonista

Até o dia 24 de setembro, o Centro Cultural Banco do Brasil de Belo Horizonte hospeda uma exposição dedicada às obras de Jean-Michel Basquiat — a mais completa já realizada na América Latina. O artista afro-caribenho teve uma carreira brilhante no mundo da arte e deixou um legado que extrapola as paredes dos museus. Nascido dia 22 de dezembro de 1960 no Brooklyn, em Nova York, era um dos pouquíssimos negros no meio artístico e seu trabalho trouxe à tona questões acerca do racismo estrutural nos Estados Unidos até então ignoradas por um campo predominantemente branco. “O negro é o protagonista da maioria das minhas pinturas”, afirmou certa vez.

CONTINUE LENDO

Literatura engessada: representação e representatividade em obras brasileiras

O Grupo de Estudos em Literatura Brasileira Contemporânea, da Universidade de Brasília, apresenta resultados de um estudo inédito sobre o perfil do romancista brasileiro, que vem sendo desenvolvido nos últimos quinze anos e compreende um total de 692 obras publicadas desde a década 1960. Coordenada pela professora Regina Dalcastagné, a pesquisa revela que não apenas os autores, mas narradores, protagonistas e coadjuvantes dos romances analisados são em sua maioria homens, brancos, de classe média, nascidos no eixo Rio-São Paulo. Em entrevista à Revista Cult, Dalcastagné reforça a importância da representatividade no campo, da pluralização de vozes na literatura e do exercício da alteridade na escrita. Confira a reportagem completa.

Livro analisa o entretenimento “cínico” dos talk shows

Recém-lançado pela editora PUC Minas, “(Não) é só uma piada: cinismo, ironia e entretenimento nos talk shows ‘The Noite’ e ‘Agora é Tarde’”, da professora Julia Lery, traz como questão central a blindagem ideológica de programas de TV sob o rótulo do humor. A obra aborda o talk show brasileiro a partir de questões do gênero televisivo – suas matrizes constitutivas, origens e características discursivas – e reflete sobre como o uso do humor e da ironia embaralha o posicionamento político dos discursos.

CONTINUE LENDO

 

 

As intertextualidades em “This is America”

O jornalista Guillermo Alonso, do “El País”, analisou o clipe “This is America” de Childish Gambino, um dos maiores nomes do cenário musical atual. Em seu texto “Por que o violento ‘This is America’ é o videoclipe do ano” (preste atenção no que acontece ao fundo) ele comenta sobre o videoclipe que já tem mais 160 milhões de visualizações desde seu lançamento em 5 de maio. O vídeo dirigido por Hiro Murai possibilita várias interpretações sobre os sofrimentos que a população negra passa nos Estados Unidos, muitas vezes colocada em segundo plano.

CONTINUE LENDO

CCM realiza II Seminário de Crítica da Mídia

O Centro de Crítica da Mídia (CCM), articulado ao grupo de pesquisa Mídia e Narrativa e em parceria com os cursos de Cinema, Jornalismo e Publicidade e Propaganda, realizou, nos dias 24, 25 e 26 de abril, seu II Seminário. O evento, que aconteceu no campus do Coração Eucarístico, somou, ao todo, doze conferências, com a participação de convidados de diversas regiões do Brasil, reunindo pesquisadores, profissionais, estudantes e demais interessados em refletir e debater as relações entre mídia e sociedade. As palestras foram ministradas por nomes importantes da área como o professor Rogério Christofoletti, do Observatório da Ética Jornalística (objETHOS), o crítico de cinema Pablo Villaça, a cineasta Alice Riff, diretora do filme “Meu corpo é político”, e o ensaísta Francisco Bosco, autor de “A vítima tem sempre razão?”. O evento discutiu temas como espaço público, redes sociais, representatividade, manipulação midiática e o atual cenário político brasileiro.

CONTINUE LENDO

Coluna de Cândido Henrique repercute o Seminário de Crítica da Mídia

As transformações na área do jornalismo esportivo são cada vez mais importantes, principalmente com o advento da internet e a necessidade de se debater temas sociais importantes. O jornalista esportivo Cândido Henrique (à direita, na foto, com Marcelo Carvalho, centro, e Getúlio Neuremberg) falou em sua coluna no jornal O Tempo sobre como foi participar do Seminário de Crítica da Mídia, em que discutiu o posicionamento do profissional da área diante das mudanças e a necessidade de manter o senso crítico para produzir mais do que entretenimento. Cândido participou da conferência “Crítica da Mídia: cobertura do futebol”, com o seu colega de profissão Marcelo Carvalho (observatorioracialfutebol.com.br).

CONTINUAR LENDO

Critica de Midia: Cobertura do futebol com Professor Getúlio Neuremberg, Cândido Henrique e Marcelo Carvalho

Žižek discute “Pantera Negra”

O filósofo Slavoj Žižek analisou, no texto “Dois panteras negras”, publicado no blog da editora Boitempo, o filme que já se tornou uma das maiores bilheterias do cinema. Narrativa de super-herói, a fita possui elenco composto majoritariamente por atores negros, ponto a ser destacado em meio à crescente luta identitária na cultura midiática.

No artigo, Žižek recupera o movimento das décadas de 1960 e 1970 do Partido dos Panteras Negras e analisa, entre outros aspectos, as concepções de herói e de vilão na trama.

CONTINUAR LENDO

Cenário contemporâneo de consumo de mídias mostra nova realidade

Por Roberto Barcelos

Apesar da centralidade da televisão no cotidiano da sociedade brasileira, a Internet vem crescendo e ganhando cada vez mais espaço, especialmente entre as camadas mais jovens da população, os chamados “millenials” e a “geração Z”. De acordo com o Relatório Final de Pesquisa Brasileira de Mídia de 2016, realizado pelo Governo Federal, o número de pessoas que acessam a Internet durante todos os dias da semana praticamente dobrou desde 2014. O consumo de televisão também apresentou crescimento nesse meio tempo, embora mais tímido. De fato, a TV e outros meios massivos começam a disputar hegemonia com smartphones e as novas tecnologias de streaming, como é apontado pela jornalista María Martín em sua matéria “A geração que não assiste mais TV e corre atrás dos ‘youtubers’”, publicada no El País.

CONTINUAR LENDO

A Televisão em Raymond Williams: debates e perspectivas

Por Roberto Barcelos.

O Centro de Crítica da Mídia, em parceria com os colegiados dos cursos de Cinema e Audiovisual e Publicidade e Propaganda da PUC Minas, Coração Eucarístico, realizou na quarta-feira, dia 8 de março, a palestra Televisão e Estudos Culturais: leituras de Raymond Williams. O debate teve como tema central a análise do livro Televisão: Tecnologia e Forma Cultural, traduzido pelos professores Márcio Serelle e Mário Viggiano, ambos da PUC Minas. O evento contou, ainda, com a presença da professora Vera França, da UFMG. O livro foi originalmente publicado na Inglaterra em 1974, ganhando tradução em 2016 pelas editoras Boitempo e PUC Minas.

CONTINUAR LENDO

17200873_1369937883064135_8698267447324443767_n

Fatos Alternativos: A possibilidade de uma nova verdade

Por Roberto Barcelos

O jargão “all facts” (fatos alternativos) utilizado pela assessora especial do Donald Trump, Kellyanne Conway, chamou a atenção da imprensa estadunidense. A expressão foi uma quebra na relação entre a indústria de notícias e o governo, pois eles sempre se compreendiam quanto à logística eleitoral e política quando lidavam com dados, fatos e eventos.

CONTINUAR LENDO

trump

Quem matou Eloá?”: feminicídio e violência midiática

Por Juliana Gusman

Referenciado como “crime de amor” pelos principais veículos de comunicação do país, o assassinato de Eloá Cristina Pimentel e a cobertura midiática dele são recuperados, agora, criticamente, no documentário de Lívia Perez. O objetivo do filme Quem matou Eloá? é discutir a naturalização social da violência contra a mulher.

CONTINUAR LENDO

2016-10-17-1476723089-4129518-still7700x393c

Imagem de reprodução

Seminário Mediações Críticas

seminario-12

O grupo de pesquisa Mídia e Narrativa realiza nos dias 27, 28 e 29 de setembro o seu V Seminário, em parceira com o grupo MidiAto (USP). As inscrições podem ser feitas no site:

www.midiaenarrativa.wordpress.com

O seminário acontecerá na PUC Minas Coração Eucarístico, na sala multimeios do prédio 13.

CONTINUAR LENDO

Filosofia da Consciência ou teoria do transe – A atualidade do pensamento sobre o Brasil no cinema de Glauber Rocha.

Por Juliana Gusmanterra_em_transe_cartaz_medio

Com Regina Mota. Dia 14 de setembro, quarta-feira, 13h30, na Multimeios do Prédio 13. Aberto ao público.

Foi com Terra em Transe que Glauber Rocha tornou-se mundialmente conhecido, conquistando o Prêmio da Crítica do Festival de Cannes, em 1967. Em uma carreira encurtada pela morte aos 42 anos, em 1981, consolidou-se como um dos principais expoentes do Cinema Novo. Lutava, antes de tudo, por uma revisão crítica da dura realidade a partir da qual produziu sua arte esteticamente inovadora.

CONTINUAR LENDO

25 anos de Thelma & Louise e a questão do gênero no cinema

Por Juliana Gusman

Lançado em 1991, o filme de Ridley Scott Thelma & Louise tornou-se emblemático pelo modo como motivou questões acerca da representação da mulher no cinema. A história protagonizada por uma garçonete, Louise (Susan Sarandon), e por uma dona de casa, Thelma (Geena Davis), circunstancialmente transformadas em fora da lei, transgrediu em seu feminismo. Desde então, Davis dirige seu Institute of Gender in Media, que pesquisa e visa ampliar a participação das mulheres nas indústrias cinematográfica e televisiva.

CONTINUAR LENDO

13624650_1132281890147022_911274927_n

Blog promove leitura crítica sobre imagens do cotidiano

Por Juliana Gusman

O blog Reading the Pictures propõe uma reflexão crítica sobre imagens que circulam cotidianamente na mídia. Em uma sociedade cada vez mais visual, busca-se compreender  níveis de significado, histórias que suscitam produções imagéticas e as mediações que as costuram no tecido social. A plataforma também publica e analisa trabalhos de fotojornalismo originais.

CONTINUAR LENDO

Sem título