Jornada das Utopias: dia 27 de setembro

A programação do quarto dia da Jornada das Utopias foi iniciada pelo o grupo de teatro negro Odum Orixá, na entrada do prédio 13. Após a atividade cultural, novas palestras e oficinas tomaram a manhã dos alunos de comunicação social da PUC Minas. Ana Paula Moreira, sub-editora de esporte nos jornais O Tempo e Super Notícia, que assina a coluna “Elas no esporte” do portal Super FC, falou sobre a inserção e os desafios da mulher no mercado do esportivo: seja como jornalista, como atleta e, até mesmo, como telespectadora. O ilustrador Duke, também de O Tempo, ministrou a oficina Criação de charges, focando em seu principal campo de trabalho. Também contamos com o Trio Lipstick comandando a oficina de Vogue para iniciantes, dança originária da cultura drag, que celebra espaços de acolhimento da diferença e da diversidade. Os alunos que participaram da oficina aprenderam vários passos característicos do estilo. Enquanto isso, Henrique Vandevelde realizou a Oficina básica de edição e montagem, na qual os alunos puderam experimentar atividades práticas envolvendo a edição de cenas de filmes.

Performance – Odum Orixá. Fotografia de Isaque Henrique / LabFoto.

Oficina: Criação de charges, com Duke. Fotografia de Isaque Henrique / LabFoto.

Tivemos ainda a palestra Narrativa em podcast com Ivan Mizanzuk, e uma oficina de Fotografia de Moda, com Fred Othero, ex-aluno de Publicidade da PUC Minas. De acordo com o fotógrafo, ele descobriu seu talento no curso e mostrou as fotos que produziu para diversos editoriais. Na verdade, Othero se considera um profissional de “antimoda”. Para ele, na fotografia, “a verdade tem defeitos, a mentira que é perfeita”.  Léo Garcia retornou a mais uma edição da Jornada com a já esperada oficina de Dança Contemporânea.  Outra oportunidade para explorar potencialidades semelhantes se deu a oficina Corpo e essência: a saúde pelo movimento com Fernanda Signorini e Felipe Pinheiro.

A programação da tarde começou agitada, no ritmo da batalha de Lipsync protagonizada pelas drag queens Charlotte e Kaila. O debate sobre a valorização das minorias sociais excedeu a apresentação cultural: o longa-metragem Watermelon Woman (1996), dirigido por Cheryl Dunye, foi exibido e comentado por Tatiana Carvalho, que problematizou a abordagem estereotipada dos corpos negros na mídia.

Oficina de Dança Contemporanea com Léo Garcia. Fotografia de Camilla Leão / LabFoto.

Batalha de Lipsync – Con. Charlotte Lorem e Kaila. Fotografias de Julia Greinert / LabFoto.

Concomitantemente, tivemos a continuidade da oficina de Fashion film, com Victor Soares e Isabelle Melo. Ivan Mizanzu também voltou ao 13 para realizar a oficina Podcast e Storytelling. A oficina Edição de som, com André Cabelo, aconteceu no Laboratório de Áudio. Nela, foi possível demonstrar várias propriedades do som e a forma como melhor usá-lo. Já em Tratamento de imagem, com Flávia Peluzzo, os alunos puderam entender os processos de planejamento de edição da imagem raw. Fred Othero prosseguiu com a oficina que começou no turno da manhã, porém priorizando a Fotografia editorial e publicitária. Na reta final, a oficina sobre Identidade Cultural na Universidade, idealizada pelo Coletivo Abayomi, tensionou a normatividade branca de determinados espaços, como o acadêmico. Léo Garcia, neste turno, conduziu uma oficina de Danças sociais, com foco no funk. Os estudantes puderam colocar os aprendizados em prática no encerramento da Jornada, ao som das DJs Amanda e Suellen.A imagem pode conter: 6 pessoas, pessoas em pé e atividades ao ar livre

Até logo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *