Televisão: novas formas de consumo

Por Roberto Barcelos. O professor de Comunicação Social, Mário Viggiano, é um dos tradutores do livro “Televisão: Tecnologia e Forma Cultural”, escrito Raymond Williams em 1974. Hoje, enfrentamos uma nova possibilidade de televisão, algo híbrido, nas palavras do professor, que mistura televisão com internet e altera as formas de consumo. Em um momento em que…

Rap de um cotidiano (re)negado

Por Juliana Gusman. Flávio de Abreu Lourenço é o segundo dos três filhos de Dona Regina, nascido no Alto Vera Cruz, bairro popular situado na região Leste da capital mineira. Foi rebatizado Renegado na rua. O fervoroso atleticano se apresentou em rima para os alunos do Curso de Comunicação Social da PUC Minas, em uma palestra-show,…

A câmera política de Anna Muylaert

Para a cineasta, o que unifica sua obra, desde “Durval Discos” (2002), é a narrativa contra formas de poder. Diretora e roteirista de um dos mais importantes filmes do cinema brasileiro nos últimos anos, “Que Horas Ela Volta?” (2015), ela fala, nesta entrevista, entre outros assuntos, sobre o lugar crítico das ficções, o significado do…

Ele, o manipulado: a mídia e o fenômeno da nova direita

A socióloga Sílvia Viana, professora da FGV (SP), é uma estudiosa dos recentes movimentos sociais urbanos no Brasil. Uma das autoras do livro Cidades Rebeldes, escreveu também Rituais de Sofrimento, em que analisa os reality shows como espaços privilegiados de reprodução do mundo do trabalho sob a lógica neoliberal. Nesta entrevista, concedida logo após sua…

A fotografia, o sensível e o político

O fotógrafo Guilherme Cunha é autor, em parceira com a jornalista Joana Tavares, do livro Memórias da vila: histórias dos moradores da Comunidade da Serra, projeto mnemônico, “patrimônio de vivências”, que reúne 21 relatos e mais de 80 imagens (retratos e interiores de casas) da região de vilas e favelas, na região centro-sul de Belo…

A gramática única das mídias

Por Juliana Gusman. Para Vladimir Safatle a convergência midiática não diz respeito somente aos dispositivos, mas, principalmente, à homogeneização dos discursos que inibe a emergência de narrativas divergentes. O filósofo de 43 anos é chileno de nascença e brasileiro por escolha. Ou pela falta dela.  A ascensão de Augusto Pinochet ao poder encurralou sua família, que trilhou o…