Esportes e Mídias: entrevista com Marcelo Barreto

As transformações no jornalismo são visíveis para os profissionais da área, principalmente com o advento da internet e a necessidade de respeitar o Outro. O jornalista Marcelo Barreto, (SporTv) discute o posicionamento do jornalista frente às mudanças e a necessidade de o profissional manter o senso crítico para produzir mais do que entretenimento. Marcelo Barreto…

Crítica e cobertura esportiva: entrevista com Gabriel Dudziak

O jornalista esportivo precisa conhecer o limite entre o caráter emocional que envolve o futebol para os torcedores e a análise de sua profissão. Por isso, Gabriel Dudziak (CBN) oferece em entrevista para Centro de Crítica da Mídia suas percepções para uma crítica esportiva feita com qualidade e objetividade. Gabriel participou da mesa “Crítica na…

Narrativas em confronto: entrevista com Rosana Soares

Em um conflito polifônico, diversas narrativas se confrontam sobre a vida urbana na grande cidade de São Paulo. A professora Rosana Lima Soares (Escola de Comunicações e Artes da USP) ministrou a oficina “Crítica da Mídia e Arte Urbana: manifestações culturais e visibilidades periféricas”, examinando com os alunos da PUC Minas o papel da mídia…

Televisão: novas formas de consumo

Por Roberto Barcelos. O professor de Comunicação Social, Mário Viggiano, é um dos tradutores do livro “Televisão: Tecnologia e Forma Cultural”, escrito Raymond Williams em 1974. Hoje, enfrentamos uma nova possibilidade de televisão, algo híbrido, nas palavras do professor, que mistura televisão com internet e altera as formas de consumo. Em um momento em que…

Rap de um cotidiano (re)negado

Por Juliana Gusman. Flávio de Abreu Lourenço é o segundo dos três filhos de Dona Regina, nascido no Alto Vera Cruz, bairro popular situado na região Leste da capital mineira. Foi rebatizado Renegado na rua. O fervoroso atleticano se apresentou em rima para os alunos do Curso de Comunicação Social da PUC Minas, em uma palestra-show,…

A câmera política de Anna Muylaert

Para a cineasta, o que unifica sua obra, desde “Durval Discos” (2002), é a narrativa contra formas de poder. Diretora e roteirista de um dos mais importantes filmes do cinema brasileiro nos últimos anos, “Que Horas Ela Volta?” (2015), ela fala, nesta entrevista, entre outros assuntos, sobre o lugar crítico das ficções, o significado do…

Ele, o manipulado: a mídia e o fenômeno da nova direita

A socióloga Sílvia Viana, professora da FGV (SP), é uma estudiosa dos recentes movimentos sociais urbanos no Brasil. Uma das autoras do livro Cidades Rebeldes, escreveu também Rituais de Sofrimento, em que analisa os reality shows como espaços privilegiados de reprodução do mundo do trabalho sob a lógica neoliberal. Nesta entrevista, concedida logo após sua…