A entrevista de Glenn Greenwald no “Roda Viva”e o olhar crítico sobre o Jornalismo

Por Carolina Lopes. O jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil, concedeu na noite desta segunda-feira (2) entrevista a jornalistas no programa Roda Viva, da TV Cultura. Atualmente o The Intercept Brasil tem soltado uma série de reportagens intitulada Vaza Jato, onde informações importantes e comprometedoras dos bastidores da operação Lava Jato estão sendo divulgadas, mostrando que houve uma “armação política” por parte dos membros do…

“Male gaze” e a prevalência da visão masculina

Por Victoria Silva Rodrigues. Na década de 70, a Europa vivia sua segunda onda do feminismo. Desde 1960, marcada pelo debate político e pela chamada liberação sexual, o movimento aflorava-se exponencialmente no mundo das artes. Logo, o cinema também obteve grupos de conscientização, realizadoras, produtoras e pensadoras. Dentre elas, temos Laura Mulvey, crítica e teórica…

Disposições sobre anônimos: o sujeito ordinário na história, na sociologia e na mídia

Por Ercio Sena e Juliana Gusman. O artigo pretende refletir sobre a presença de sujeitos anônimos e sobre suas realidades cotidianamente negligenciadas em narrativas midiáticas distintas. Para isso, estabelece relações com estudos sobre a abordagem dos anônimos na história e nas ciências sociais brasileiras. Esses movimentos buscam capturar ações que miram a visibilidade desses sujeitos, pertencentes…

Crítica e reconhecimento: lutas identitárias na cultura midiática

Por Marcio Serelle e Ercio Sena. Este artigo analisa interações polêmicas sobre o filme Vazante e a peça Gisberta, em que grupos identitários vinculados a pessoas negras e transexuais, respectivamente, criticaram o modo como foram representados nessas ficções. A partir da teoria de reconhecimento em Axel Honneth, busca-se compreender a emergência dessas formas de luta social na cultura…

Representações plurais: para repensar os corpos na mídia

Estudantes do terceiro período do curso de Publicidade e Propaganda (turno da tarde) da PUC Minas desenvolveram alguns cards para estimular reflexões sobre representações midiáticas e estereótipos de gênero. Tendo em vista os regimes de representações vigentes, que enquadram determinados corpos e existências como “menos importantes”, alunas e alunos propuseram reflexões para desafiar pressupostos que…

Garotas mortas é sobre procura

Por Caíque Pinheiro. Desde a capa da edição brasileira (Todavia, 2018), com a imagem de uma flor muito próxima e de outras mais distantes, todas desfocadas, a não ficção de Selva Almada, Garotas mortas, parece sugerir esta mensagem: seu livro é sobre a busca de ver algo (e também sobre não vê-lo, de fato). No…