Liberdade que aprisiona

  Por Júlio Martinez. Em Estou Me Guardando Para Quando o Carnaval Chegar (2019) Marcelo Gomes (diretor de Era Uma Vez Eu, Verônica e Joaquim)  retorna  a Toritama, cidade em que costumava ir com seu pai quando criança, localizada no agreste de Pernambuco. Atualmente, o município é conhecido por ser a capital do jeans e…

Atlantique: um Transe Tropical

Por Júlio Martinez de Mendonça. Atlantique (2019), longa-metragem de estreia de Mati Diop, fez história no Festival de Cannes, sendo a primeira obra dirigida por uma mulher negra a entrar na competição pela Palma d’Or e, ainda, levar o  Grand Prix. O filme se passa no Senegal, na cidade de Dakar, onde acompanhamos um amor proibido…

A quem confessar? (O Irlandês, de Martin Scorsese)

Por Fábio de Carvalho. Nos perguntamos a quem a narrativa de Frank Sheeran (Robert De Niro) se dirige em O Irlandês (2019). Uma câmera em movimento nos detêm sobre os corredores de um asilo para idosos e encontra seu destinatário. O enquadramento, remetendo a abordagem de uma entrevista, revela a cadência de uma fala que paulatinamente…

A ambiguidade, a inocência (Coringa, de Todd Phillips)

O crítico e realizador de cinema Pierre Léon em entrevista a revista Cinética fala da existência de um exoesqueleto dos filmes contemporâneos. A comercialização das obras vêm acompanhada de um aparato de trailers, releases e opiniões que afastam o espectador da presença de um filme do qual pouco se conhece. A partir desse diagnóstico, é preciso pensar maneiras de reengajar…

A entrevista de Glenn Greenwald no “Roda Viva”e o olhar crítico sobre o Jornalismo

Por Carolina Lopes. O jornalista Glenn Greenwald, editor do The Intercept Brasil, concedeu na noite desta segunda-feira (2) entrevista a jornalistas no programa Roda Viva, da TV Cultura. Atualmente o The Intercept Brasil tem soltado uma série de reportagens intitulada Vaza Jato, onde informações importantes e comprometedoras dos bastidores da operação Lava Jato estão sendo divulgadas, mostrando que houve uma “armação política” por parte dos membros do…

Disposições sobre anônimos: o sujeito ordinário na história, na sociologia e na mídia

Por Ercio Sena e Juliana Gusman. O artigo pretende refletir sobre a presença de sujeitos anônimos e sobre suas realidades cotidianamente negligenciadas em narrativas midiáticas distintas. Para isso, estabelece relações com estudos sobre a abordagem dos anônimos na história e nas ciências sociais brasileiras. Esses movimentos buscam capturar ações que miram a visibilidade desses sujeitos, pertencentes…

Crítica e reconhecimento: lutas identitárias na cultura midiática

Por Marcio Serelle e Ercio Sena. Este artigo analisa interações polêmicas sobre o filme Vazante e a peça Gisberta, em que grupos identitários vinculados a pessoas negras e transexuais, respectivamente, criticaram o modo como foram representados nessas ficções. A partir da teoria de reconhecimento em Axel Honneth, busca-se compreender a emergência dessas formas de luta social na cultura…